Lisboa representa mais de 25% das vendas de vinho em Portugal;

2ª Edição da Rota dos Petiscos e Vinhos do Alentejo – até dia 13 de outubro em Lisboa Entrevista a Francisco Mateus, Presidente da Comissão Vitivinícola Regional Alentejana
Lisboa representa mais de 25% das vendas de vinho em Portugal
Francisco Mateus, Presidente da CVR Alentejana, durante a apresnetação da Rota dos Petiscos e Vinhos na Sala Ogival em Lisboa

A Rota dos Petiscos e Vinhos do Alentejo está de regresso a Lisboa. para a respectiva 2ª edição. Por 4,50 pode provar um petisco e um copo de vinho. A novidade é que este ano a edição comporta 14 restaurantes de cozinhas do mundo - brasileira, italiana, indiana, moçambicana, mas também a portuguesa.

Vida Económica (VE): Para o Alentejo ser percebido e aprendido, teve de vir para Lisboa?
Francisco Mateus (FM): Lisboa representa mais de 25% das vendas de vinho em Portugal, tendo o mesmo peso no caso do Alentejo. Por isso, faz-nos todo o sentido ter esse foco na nossa estratégia de promoção.

VE: Sente que o turista já reconhece o vinho alentejano?
FM: O vinho do Alentejo é exportado para 118 países, acreditamos, por esse motivo, que uma parte dos turistas já terão experimentado vinhos da região. Há um maior número de turistas brasileiros e norte-americanos a visitar a região, que serão cerca de 30% de acordo com os nossos números da Rota dos Vinhos e enoturismo. Estou convicto que estes turistas saem do Alentejo com uma boa perceção dos nossos vinhos passando-a aos familiares e amigos.










VE: É possível sentir o impacto na procura do vinho do Alentejo graças a eventos como a Rota e o os Vinhos do Alentejo do CCB, por exemplo?
FM: As vendas de vinho do Alentejo durante os meses de outubro a dezembro representam cerca de 1/3 do total do ano da área de Lisboa. Não posso concluir que se deve apenas a iniciativas como a Rota dos Petiscos e Vinhos do Alentejo e ao evento no CCB, mas acredito que estes eventos geram maior interesse por parte dos consumidores, que depois resultam em vendas.

VE: Que expectativas existem para este ano em termos de produção e mercado, por exemplo, até ao final deste ano de 2018?  
FM: O Alentejo teve três anos consecutivos com perdas na produção, o que está a ter um reflexo visível nas vendas em termos de quantidade. O sinal positivo é que, vendendo menos, estamos a melhorar em termos de preços quer no mercado nacional quer na exportação. Quanto à produção de 2018, veremos o que será ditado no final da vindima, pois os efeitos climáticos que tivemos no início de agosto comprometeram a nossa expectativa de 15% de crescimento.

Lista dos restaurantes
1.       By The Wine; 2. Carnalentejana; 3. Companhia do Largo;4. Livraria Menina e Moça; 5. Lost In; Santos-O-Vinho; Chutnify; Chiveve; Malaca too; Boteco da Dri; Maritaca; Topo Belém; Topo Chiado e Topo Martim Moniz.
Dora Troncão, 30/09/2018
Partilhar
Comentários 0

Notícias Relacionadas